Sábado, 14 de Janeiro de 2012

CARA NOVA NO CONGRESSO - Desratização no Senado

 

 
Senado manda desratizar a Casa
Artigo em Cara nova no Congresso
http://caranovanocongresso.blogspot.com/2012/01/desratizacao-do-senado.html
Um rato mordeu o pé de uma funcionária do Senado. Resolveram, então, aproveitar o 'recesso' para desratizar a casa (da mãe joana).  Bem de acordo com a política nacional que  só procura tomar alguma providência depois de ocorrido o incidente, seja ele  qual for, pois sabem os meliantes parlamentares que nunca são atingidos diretamente.
No Brasil, os ratinhos sempre se danam,
enquanto  as ratazanas continuam devorando
tudo o que estiver na frente.
 
 
publicado por puteiro-nacional às 18:36
link do post | comentar | favorito
|

Blog do Briguilino - Miauuuuu!!!


 

Dilma Rousseff vai exportar o Luz Para Todos
Artigo completo no Blog do Briguilino

 
O governo brasileiro vai exportar o programa Luz para Todos a países emergentes interessados em universalizar o acesso de seus habitantes ao serviço de energia elétrica. Países da África e América Latina... Peru, Colômbia, Guatemala e Moçambique. Outros nove países...
 
”Ninguém no mundo tem a experiência que o Brasil possui”, afirma o ministro (um dos 38  ministros). 
O ministro tem toda razão, principalmente
quando se trata de gato.
Miau, miau, miau...
publicado por puteiro-nacional às 12:14
link do post | comentar | favorito
|

Blog do Briguilino - Miauuuuu!!!


 

Dilma Rousseff vai exportar o Luz Para Todos
Artigo completo no Blog do Briguilino

 
O governo brasileiro vai exportar o programa Luz para Todos a países emergentes interessados em universalizar o acesso de seus habitantes ao serviço de energia elétrica. Países da África e América Latina... Peru, Colômbia, Guatemala e Moçambique. Outros nove países...
 
”Ninguém no mundo tem a experiência que o Brasil possui”, afirma o ministro (um dos 39  ministros). 
O ministro tem toda razão, principalmente
quando se trata de gato.
Miau, miau, miau...
publicado por puteiro-nacional às 12:14
link do post | comentar | favorito
|

...

 

 
Invasores,  parecendo um verdadeiro exército, prontos para lutar contra 
determinação judicial e para exigir  "seus direitos" inexistentes
 
 

Em clima de tensão, famílias aguardam reintegração em SP (notícia completa e fotos no UOL)

No acampamento  Pinheirinho  de São José dos Campos - SP,  invasores em situação irregular foram
notificadas pela Justiça para deixarem hoje a área invadida.

Acostumados a exigirem  seus direitos, mesmo inexistentes, afirmam que haverá forte resistência, caso a polícia  "se atreva" a entrar na área invadida, para exigir o que foi determinado pela juíza da 6ª Vara Cível.   Para reagir contra ordem judicial, aguardam com cães, se armaram com pedaços de madeira, fizeram escudos de tambor plástico e formaram barricadas.
 
 
 
"Desde a manhã de hoje, uma reunião é realizada com representantes da prefeitura, dos
governos estadual e federal, da OAB e do movimento, entre outros, para tentar
negociar uma proposta de regularização da área. Por volta das 14h10, o encontro
ainda não tinha terminado. (UOL)
 
O  terreno invadido  pertence à massa falida de uma empresa, o que certamente será usado
como argumento.  Se o fato de um terreno estar abandonado é motivo para sua invasão, e, pior ainda, se as ordens judiciais são desrespeitadas sob qualquer alegação, estará confirmado que estamos no país da muvuca.
Só mesmo pessoas sem instrução, como é o caso
do ex-presidente L.I. que sempre estimulou invasões
e o desrespeito às leis, podem desmoralizar a Justiça de um país,
transformando-o numa bagunça generalizada.
O POVO BRASILEIRO SEGUE SEU EXEMPLO E SUGESTÕES.
 
 
publicado por puteiro-nacional às 10:37
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 13 de Janeiro de 2012

HOMENS, UNI-VOS!

 

 

 

 

  

          Uni-vos... mas não tanto.

 

 

Mais uma vez, o 3 B, na foto abaixo, onde vemos umas  características  do homem atual, (ou metrossexual, caso queriam alguns):  

 

 

  • tatuagem, um novo modismo;
  • completa (?) depilação masculina;
  • brincos - ou piercings - que deixaram de ter seu uso tão restrito ao mundo feminino.
  • os dois representantes masculinos aparentemente não perceberam a beleza da natureza que os cerca.

 

  

Muito lindo para capa de revista,  mas nada melhor do que uma barriguinha,

pois abraçar um homem tanque é  o mesmo que abraçar uma árvore.

 

 

 

 

 

 

Nota:  Preferências pessoais é um direito de todos nós, inclusive de quem adora uma barriguinha acompanhada de uma respeitável careca.

 

 

 

publicado por puteiro-nacional às 17:44
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 4 de Janeiro de 2012

"No future!'


 

"Andar nu? Colocar os cotovelos sobre a mesa? Dizer umas verdades ao chefe?
Pela primeira vez, seus atos não serão medidos pelas consequências sociais, mas pelo que lhe aprouver
a deliciosa e nunca priorizada argumentação dos sentidos."

 
 
SAL A GOSTO  
Joaquim Ferreira dos Santos
Eu já estive em outros fins de mundo, como esse que mais uma vez se anuncia para 2012, e não quero ser estraga-prazeres. É frustrante. Você fica de olho no céu esperando que uma bola de fogo saia como uma erupção da base da estátua do Redentor, e, lá pelas três da madrugada, percebe morto de sono que não vai acontecer nada. Você está vivo. Eu não compraria ingresso para o show do fim do mundo de 2012. O Senhor dos Raios, responsável em pôr termo à essa nossa civilização chinfrim, sempre dá uma de João Gilberto. O Cara simplesmente não comparece.
Foi assim nos anos 1970, quando uma multidão de hippies acampou em Saquarema, alertada para mais um fim dos tempos. Eu estava lá. Mais uma vez não vi.
Anunciava-se o evento, como se fosse um show do Vímana, o Pink Floyd carioca, pelo jornal “Flor do Mal”. Astrólogos garantiam a aterrissagem de uma esquadrilha de discos voadores. Eles trariam a arma definitiva que nos libertaria desse inútil sofrimento terráqueo. Seriam os novos deuses, fariam a faxina necessária para implantar em seguida uma raça mais viajandona, que não se amarrasse em dinheiro, não, mas na vida em grupo, na paz e no amor, bicho, que eram os mitos de felicidade nos 1970. Era a década do desbunde. Drogas por todos os lados. A comunidade dos Novos Baianos em Jacarepaguá, da mesma maneira que a Apple hoje no Vale do Silício, anunciava aquele modo de vida como o futuro da civilização.

Todos os hippies de Rio e São Paulo foram para o descampado em Saquarema, uma pista perfeita para a chegada dos discos. Os tripulantes das naves, continuava a revista “Planeta”, exterminariam os ditadores da época, transformariam em vapor branco os fumadores de maconha e colocariam no poder uma nova ordem mundial. Namorou-se muito na noite de Saquarema, apertou-se de tudo, mas o fim do mundo que estava na conclamação deu uma de João — alegou falta de gasolina nos motores dos discos, fumaça demais dificultando a visão do pouso, não me lembro —, e o fim do mundo mais uma vez não aconteceu.

A ideia de que vai acabar e não ficará Redentor sobre a montanha, tudo tão rápido que não dará tempo sequer de digitar os 140 toques no Twitter com a maior notícia de todos os tempos desde a Criação — a possibilidade de fim do mundo para 2012 — não é necessariamente apavorante. Pode criar uma ânsia especulativa, de saber se com uma praga de gafanhotos ou um tsunami que encheria o Rebouças de polvos famintos. De resto, resolveria os inevitáveis planos do que se fazer com os próximos dias.

Eu, mais crédulo fosse com a possibilidade de que desta vez acaba mesmo, descompromissarme-ia com a necessidade da prosa elegante e chafudar-me-ia no pântano, na pocilga dessas delícias vagabundas que a língua oferece ao riso vernacular. Em seguida, dormiria tranquilo, pois antes de ler o jornal, antes de fazer a crítica da edição me esculhambando o estilo, o ombudsman estaria devorado pelas mesmas centopeias incandescentes, todas malignamente polissílabas, que surgiriam das frestas dos terremotos e exterminariam esses pruridos linguísticos e seus xerifes.
Todo mundo que brinca o carnaval sabe que o melhor dos dias é a terça-feira, chacoalhado pelo grito de “é hoje só, amanhã não tem mais”. O fim do mundo, previsto para amanhã, desencuca a humanidade para 2012. Todos poderão se dedicar ao que interessa a cada um. Chegar ao futuro com a biografia escorreita está fora do projeto porque, ficou claro agora, os punks estavam certos quando pichavam os muros com o “No future”.

O mundo acabou, já sinto a eletricidade dos raios cruzando a camada de ozônio e
começando a esquentar os miolos humanos. A energia liberada pelos raios
aumentará centenas de vezes o tamanho dos besouros da Floresta da Tijuca, que
serão os novos senhores da Terra. Não haverá onde se esconder. Os próximos
minutos serão os mais sinceros da vida de todos. A hora da verdade, a vida como
deveria ser na receita fundamental que o grande Chef escreveu, mas ninguém
praticou. Sal a gosto, minha gente.

Andar nu? Colocar os cotovelos sobre a mesa? Dizer umas verdades ao chefe? Pela
primeira vez, seus atos não serão medidos pelas consequências sociais, mas pelo
que lhe aprouver a deliciosa e nunca priorizada argumentação dos sentidos. Leia
na minha camisa: “Relaxa, bebê”.

Eu só quero lembrar mais uma vez que o João Gilberto dos raios, tsunamis e pragas
de gafanhoto prometeu o mesmo show dezenas de outras vezes e, como de costume,
não compareceu. Carmen Miranda cantou um fim do mundo desses, já na década de
1930, e já que não haveria amanhã com sua moralidade careta, ela saiu beijando a
boca de quem não devia, dançou o samba em traje de maiô, e o tal do mundo não se
acabou.

Eu sou um jornalista. Tenho por princípio de solidariedade e sobrevivência
acreditar nas coisas publicadas no mesmo papel que divulga meus dribles de
letra. Li que o mundo acaba, confirmando previsões seculares dos maias.
Acredito. Não há mais com o que se preocupar. A todos o mesmo destino, corra-se
os 7km em volta da Lagoa ou enferruje-se o colesterol sentado vendo uma maratona
de “The mentalist” na TV. Não imitarei Carmen. Beijarei a mesma boca de sempre,
mas tocarei meus dias com desapego e estresse zero. Desde já, perdoem as
vírgulas desparagonadas. A obrigação de escrever com estilo a grande crônica do
ano está com o Senhor dos condões.

Ele mandará bolas de fogo, ele apagará as luzes da árvore da Lagoa com uma ventania
de areia do deserto, fará chover gafanhotos, ele escolherá o fecho de ouro. Não
há como concorrer com tão terrível Escritor. Desestressado, verbos na contramão
da ordem, certo de que os e-mails de crítica não terão tempo de alcançar minha
caixa postal, eu espero apenas o apagar das luzes. O ano em que o João Gilberto
Divino promete o mais desafinado de seus shows. Que venha 2012 — se é que, nesta
primeira segunda-feira, ele já não acabou.
 

 
Pelo jeito, os políticos brasileiros estão
esperando o fim do mundo desde criancinhas". 
Mas será que isso explica sua falta de compromisso com a honestidade?
Adaptação
                                                                         
publicado por puteiro-nacional às 20:35
link do post | comentar | favorito
|

O que é "um grande homem"

 

Faz muito tempo, um general (Jorge de Sá Pinho) foi promovido e um curioso perguntou a Ernesto Geisel quem era ele. 
O ex-presidente respondeu: 'É um grande general. A prova disso é que você não sabe quem é'. "   (coluna de Élio Gaspari, jornal de ontem)
Quem é bom faz. 
Os outros só falam.
publicado por puteiro-nacional às 20:33
link do post | comentar | favorito
|
Terça-feira, 3 de Janeiro de 2012

...

  

segunda-feira, 2 de janeiro de 2012
... diretamente proporcional  ao crescimento, igualmente recordista,  da  sujeira
ambiental verificada no Rio de Janeiro.

Hoje na FolhaDesvio recorde de recursos públicos em 2011 - noticia
UOL/ Folha de São Paulo

Operações da Polícia Federal flagraram o desvio de R$ 3,2 bilhões de recursos públicos em 2011, dinheiro que teria alimentado, por exemplo, o pagamentos de propina a funcionários públicos, empresários e políticos -  reportagem de Fernando Mello, publicada na Folha desta segunda-feira.


 

O pão (deles) de cada dia.

Muitos foram comemorar o final de ano na praia de Copacaba, o que se tornou um comércio bastante rentável.

Foi um festival de beleza, show de cantores, fogos coloridos acompanhados de palavras falsas  que falavam de amor e "conscientização".   Depois de tudo isso, a "conscientização"  deixou 370 toneladas de lixo espalhados pela
areia. 
Os argumentos irão desde a desculpa de estarem todos cansados de tanta farra e bebida até o argumento  de
que era fim de ano, motivo suficiente para ninguém se preocupar com "bobagens".

O pior nem é a falta de hábitos básicos de higiene, como vemos na foto abaixo.  É a falta de compromisso com a cidade.  A falta de carinho, de respeito, de consideração, de apego ao Rio de Janeiro.  Muitos, que vivem aqui, não nasceram aqui e vêem este lugar apenas como um ganha pão, um lugar para onde correm em busca de emprego.  

 
Quem não percebe a necessidade de cuidar do lugar onde vive,que volte para
'sua terra' ou, caso sejam cariocas,
que joguem lixo no chão da sua própria casa.

domingo, 1 de janeiro de 2012

Comemorações

Atualmente, os fogos começam um dia antes e terminam um dia depois.  Deve ser por causa desses relógios chineses!(frase maliciosa de Tony Englander).
Montagem com as imagens
alheias

Diplomatizzando: Para comecar o ano bem... (bem, mais ou menos...)

Que nosso
otimismo supere até mesmo as indiscutíveis 'leis da natureza',
que passarão a
ser consideradas simples testes de paciência (ou impaciência).

 
Excelente
2012  para todos vocês.
 

sábado, 31 de dezembro de 2011

Em homenagem à USP-Universidade do Estado de São Paulo

"O Estado de S. Paulo - quarta-feira, 21 de dezembro de 2011.  A homenagem está um pouco atrasada, mas o fato merece destaque para nunca ser esquecido .
Artigo escrito por José Nêumanne - Jornalista, escritor e editorialista do Jornal da Tarde - O Estado de S.Paulo 
A USP dá exemplo para o Brasil seguir
Os estudantes e sindicalistas de extrema esquerda que se rebelaram contra a presença da Polícia Militar (PM) no câmpus da Universidade de São Paulo (USP), sem querer, e o reitor da instituição, João Grandino Rodas, no pleno e voluntário exercício da autoridade de que foi investido, estão fazendo história. O episódio é notório e recente, mas convém resumi-lo para a argumentação ficar clara: em maio, no ápice de estupros, assaltos relâmpago e
outras atitudes violentas de bandidos que se aproveitavam da falta de policiamento nos espaços vazios da Cidade Universitária Armando de Salles Oliveira, um estudante foi morto num assalto. A direção da universidade houve por bem firmar convênio com a PM para substituir com soldados fardados da corporação os poucos e desarmados agentes de segurança própria. Ruminando seu ódio contra a presença de agentes da lei num território que consideram, se não fora, no mínimo, além da lei, funcionários, docentes e estudantes filiados a grupos de extrema esquerda encontraram num caso isolado motivo suficiente para armar um fuzuê e tentar forçar a saída dos policiais de uma área pública da qual se acham donos. Três alunos foram flagrados fumando maconha e isso deu origem à ocupação de um prédio administrativo da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH), invasão depois estendida à Reitoria. Expulsos pela PM cumprindo ordem judicial, os invasores foram levados à delegacia e libertados sob fiança.  Na semana passada, o professor de Filosofia Contemporânea Carlos Alberto Ribeiro de Moura reprovou por faltas 60 alunos que não compareceram ao número regulamentar de aulas para engrossarem o coro dos rebeldes descontentes na greve de novembro. E, pela primeira vez em dez anos, a USP expulsou seis alunos que, sob idêntico pretexto de protesto, ocuparam salas da Coordenadoria de Assistência Social (Coseas) dizendo reivindicar melhoria nas condições de moradia e aumento do número de vagas no Conjunto Residencial da USP (Crusp), na mesma Cidade Universitária, no ano passado. Tanto em 2010 como no mês passado, os pretensos rebeldes quebraram computadores, destruíram prontuários e depredaram os prédios invadidos, construídos e mantidos com dinheiro público. Como era de esperar, os dirigentes de centros acadêmicos e sindicatos de funcionários acusaram o reitor Rodas de perseguição política, classificando as expulsões de "autoritárias" e as reprovações impostas por Moura, de
"intempestivas".
As acusações baseiam-se em confusão idêntica àquela com a qual pretenderam confundir a presença da polícia para garantir a vida das pessoas e exercer a força legítima em nome do Estado Democrático de Direito com ocupações manu militari da época da ditadura. Agora o argumento mentiroso é que as expulsões foram baseadas num regimento introduzido por decreto durante o mesmo regime arbitrário. O regimento, na verdade, data de 1990, sob a égide da Constituição de 1988 e de um presidente eleito  democraticamente.A mistificação tem o mesmo objetivo cínico de jogar areia nos olhos do cidadão comum, que sustenta com muito sacrifício os privilégios usufruídos pelos estudantes da USP e tem como recompensa por isso a destruição de prédios e equipamentos comprados com seu dinheiro e tendo muitas vezes de pagar escola particular para os próprios filhos.
Os invasores dos prédios em novembro usaram a desfaçatez deslavada de considerar instrumento de tortura os ônibus em que foram transportados para a delegacia e tiveram a caradura de se dizer "presos políticos" durante as poucas horas em que foram fichados pela Polícia Civil antes de serem liberados sob fiança bancada pelos sindicatos de servidores da USP.  Ou seja, por mim e por você, leitor, pois tais sindicatos, como quaisquer outros, vivem do imposto sindical arrecadado de um dia de trabalho de todo portador de carteira assinada no Brasil, sindicalizado ou não. Isto é: os baderneiros que se amotinaram para deixar o câmpus "sagrado" livre para a atuação de estupradores, assaltantes, assassinos e traficantes de entorpecentes destruíram patrimônio adquirido com o suor do cidadão, inclusive o mais pobre, e foram soltos sob fiança desembolsada por todos os trabalhadores(FATO MUITO INTERESSANTE EM SEGUIDA) Nem todos os 73 desalojados dos prédios ocupados estavam matriculados na USP. Cabe à autoridade informar à sociedade o que fazia em tais edifícios gente alheia à atividade acadêmica fingindo protestar em defesa dela.  Convém lembrar que quadrilheiros do crime organizado de facções como o Comando Vermelho (CV), no Rio, e o Primeiro Comando da Capital (PCC), em São Paulo, aprenderam nos cárceres em que a ditadura os misturou com presos políticos o emprego da definição de "preso político" para conquistarem a simpatia da população e o beneplácito da autoridade. Os estudantes e seus agregados na invasão não são os primeiros nem serão os últimos a recorrer ao eufemismo como tábua de salvação.  Portanto, as atitudes exemplares do professor Carlos Alberto Ribeiro
de Moura e do reitor João Grandino Rodas
não apenas restauram a autoridade da administração de uma instituição de ensino e pesquisa que já foi mais respeitada. Elas também deveriam servir de exemplo em outros ambientes institucionais nos quais a leniência quanto ao cumprimento da lei e o relaxamento da ordem põem em xeque o conceito fundamental da democracia, que é o da igualdade de todos perante a norma jurídica. Nesta República do vale-tudo para alguns e onde nada podem quase todos, políticos são autorizados a movimentar caixa 2 em campanha eleitoral, o que não é permitido a cidadãos comuns na escrita de suas contas. A punição a quem cabulou aulas e destruiu equipamentos na USP deveria servir de ponto de partida para atitudes semelhantes no exercício da
política e na gestão pública.
Parabéns ao professor Carlos Alberto Ribeiro de Moura e ao reitor João Grandino Rodas.  Que jamais se encolham aos escusos interesses alheios em detrimento da dignidade de uma instituição que merece respeito.  E continuem a dar aos alunos o que merecem.


 
Enquanto isso, duas pessoas conversam na praia:
- Pobres tartaruguinhas!  Nem precisam ir para o asfalto e já são atropeladas.  Precisamos fazer campanha contra jet-ski e essas bananas-boat.
- Deixa disso, mulhé.  A rapaziada vem aqui prá se divertir.   Quem se preocupa com tartaruga são os velhos...
Montagem
 

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Até tu, Hugo Chaves?
Diz o ditado popular que
"Pobre, quando vê muita esmola, desconfia".  
(mas vai depender do tipo de pobre)
Até tu, Chaves?
O presidente da Venezuela também acha muito estranho que cinco chefes de Estado na América Latina  estejam com câncer.  Ele próprio,  Dilma Rousseff, o ex-presidente L.I., Cristina Kirchner e Fernando Lugo. Hugo Chaves,  eternamente desconfiado das 'forças ocultas'  que lutam para destruir todo o populismo falsamente  apresentado como socialista, acusa os EUA de causar câncer nos presidentes latinos.
"Para Chaves há uma estratégia liderada por americanos para minar os líderes latinos,   provocando tumor maligno em todos eles."
"Fidel  (Castro, ex-presidente de Cuba)  sempre me disse: 'Chávez tenha cuidado, essa gente desenvolveu tecnologia, atenção ao que te dão para comer e cuidado com uma pequena agulha que te injetem e não se sabe o porquê'", disse o venezuelano.   (O conselho de Fidel deve ser levado muito a sério, do contrário ele não estaria incólume aos oitenta e cinco anos de idade.)


Para justificar suas dúvidas, Chaves relembrou o caso dos médicos americanos nos anos de 1940, que fizeram experiências com cidadãos guatemaltecos sobre doenças sexualmente transmissíveis que levaram 83 pessoas à morte.

 
Na impossibilidade de negar as afirmações de Chaves contra o poder dos EUA sobre a saúde dos socialistas, só nos cabe aconselhar que todos larguem essa foice com martelo e se aliem aos verdadeiros democratas.
***

Nova versão da dança dos porquinhos com a inclusão de Fernando Lugo, presidente paraguaio, que,
muito injustamente, não apareceu na versão original.
 
 
 

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

O DEBOCHE - foto simbólica
Pode rir, Jáder. 
Podem chorar, paraenses... de arrependimento.


Nós choraremos junto com vocês, mas ...
CHORAREMOS DE VERGONHA


"Barrado pela Lei da Ficha Limpa, Jáder Barbalho reassumiu ontem o Senado graças à decisão que revogou efeitos da lei para a eleição de 2010; ele receberá R$ 30 mil por quatro
dias de trabalho em dezembro.
Nessa posse, seu filho Daniel fez caretas." - primeira página do jornal O Globo de hoje.

Jáder Barbalho, aparece numa inesquecível foto: ele, um meliante algemado que é senador do nosso país.
A história do que houve em Iriri  (Sindicato X invasores) não está bem clara, até porque só sabe o que realmente acontece quem está no meio do 'imbroglio'.  E, mesmo assim, vê tudo sob sua própria ótica.

Mas vamos lá.  Para começar, o que é o sindicato e o que são os invasores.
Sindicato é uma associação de pessoas de um mesmo segmento econômico trabalhista. Teriam como objetivo principal a defesa dos interesses econômicos, profissionais, sociais e políticos
dos seus associados. 
 
Existe, inclusive, o sindicato de empresários, pois eles também trabalham, apesar da idéia distorcida que procuram passar ao  incentivar essa guerrinha oportunista  'empregado contra empregador'.  A diferença é que uns, os "patrões", tiveram a sorte, a chance ou  capacidade para  ter seu próprio negócio.  
Tanto os operários/empregados -  tendenciosamente chamados de trabalhadores, como se apenas eles trabalhassem -  dependem do salário para viver, quanto os empresários dependem dos empregados para manter sua empresa.  
Além disso, nada mais lucrativo para a União do que "a injustiça"  cometida pelos patrões, como vemos no exemplo abaixo.
Cada empregado custa ao empregador quase o dobro do seu salário. Portanto, a um governo que se diz defensor dos 'trabalhadores',  seria decente que abrisse mão de  pelo menos parte de suasvantagens financeiras indecorosas em favor de quem finge defender.  O custo seria o mesmo, o salário mais gordo e o empregado  ficaria extremamente agradecido, menos enganado e menos dependente do governo (uma tragédia para quem gosta de povo
submisso) .   Alguém já viu um  defensor dos trabalhadores dizer que a CLT é uma forma de a União se aproveitar do trabalho alheio?  O sindicalista ex-presidente L.I., por exemplo, nunca disse isso.
No Brasil, existem também as  centrais sindicais que reúnem sindicatos de diversas categorias: a CUT (Central Única dos Trabalhadores) e a  Força Sindical , atualmente representada pelo  conhecido Paulinho da Força, Paulo Pereira da Silva, do  PDT-SP.  Alô  Paulinho! Lembra quando mandou invadir o Sindicato dos Gráficos de São Paulo em setembro deste ano?  A reportagem no site http://www.brasilwiki.com.br/noticia.php?id_noticia=45597é imperdível.
Atualmente, graças ao ex-presidente/sindicalista L.I., os sindicatos nem precisam mais prestar contas de todo o dinheiro pago a eles  pelos assalariados.   Se antes, por inércia, os trabalhadores  não sabiam  quanto  os sindicatos arrecadavam e qual o destino do dinheiro, agora sabem menos ainda!
Quanto aos invasores, a  própria palavra é bem explicativa.  São aqueles que invadem a propriedade que pertence aos outros, como faz o pessoal do MST, sempre aclamado pelo Partido dos Trabalhadores. 
NOTA: Não sou empresária.  Como a  maioria dos brasileiros não tive sorte nem capacidade para montar meu próprio negócio.  Portanto, não existem, aqui, acusações tendenciosas, apenas fatos observados...  sob "minha ótica".  Melhor acusação, no caso, seria me acusar de uma possível miopia (?)
.
 
 
 

   Governo do Brasil, Chile e Argentina ...

O  que Hugo
Chaves, Cristina Kirchner
Dilma Rousseff
e o ex-presidente/metalúrigico  L.I. e têm em comum? 
X
O mal
ou a maldade ?
NOTA:  Informação retirada do UOL (28/12/2011) : Depois de Dilma Rousseff, atual presidente brasileira;  Hugo Chaves, presidente da Venezuela; L.I.,
ex-presidente do Brasil; Cristina Kirchner, a presidente da Argentina que pretende reescrever a história de seu país, é a n
ova vítima de câncer (na tireóide).   É uma coi
ncidência que quase nos leva a crer que  falsidade ideológica  e mentira são altamente cancerígenos.   
PTISTAS, SE CUIDEM.
O PRÓXIMO PODE SER VOCÊ.
Montagem




Sindicato dos Metalúrgicos de Itapetinga - PARTE 1

Entrevista com Robson, na Praia Costa Azul-Iriri (ES)
O vídeo com a ntrevista estará disponível depois de compactado.  Enquanto isso não ocorre, um resumo da história do Sindicato dos Metalúrgicos de
Itapetinga.
  Este sindicato é de uma cidade mineira, mas possui muitas propriedades em Iriri.
Iriri é  uma cidade com poucos moradores, onde o comércio local lucra principalmente durante o verão, quando recebe  maior número de pessoas, com carinho, educação, braços abertos e ... um delicioso piruá.

Nas duas fotos ao lado, aparece o interior de um dos restaurantes e o pequeno trecho onde ele fica.  Vemos algumas casas simples,  pequenas que não são moradia, mas
restaurantes em frente à praia.  Talvez por esse motivo, tenha sido fácil convencer alguns moradores locais de que não passam de quiosques.  Será que se
conhecessem os apartamentos cada vez mais minúsculos dos ' grandes'  lançamentos imobiliários no Rio de Janeiro também os considerariam quiosques?
 
Sendo proprietário até de um hotel na cidade  (bem explicado no vídeo com o depoimento do Robson), há um tempo atrás o Sindicato dos Metalúrgicos de Itapetinga resolveu retomar seu patrimônio, aparentemente invadido, com a ajuda de mandato judicial.
SEGUNDO CAPÍTULO NA PRÓXIMA PÁGINA, quando serão recolhidas mais algumas informações. E, de preferência, a possibilidade de expor o depoimento do representante daquela terra tão especial.

Presente de fim de ano.

Pode ser grosseria, afinal a realidade é grosseira, mesmo.  Mas há alguns anos venho substituindo aquele presentinho de final de ano, que colocamos na portaria de
nosso prédio, pelo cartão acima.  
Talvez por isso nosso jornal chegue sempre tão atrasado, porém, a única maneira de acordar um dorminhoco é uma boa sacudida.   Só que alguns nem assim
acordam!
Muita satisfação para todos vocês em 2012.
(muita tolerância, também)
 

sábado, 24 de dezembro de 2011

Milagres existem
A revista Veja (Radar)  informou:  "Boletim médico - a voz de L.I. voltou ao normal." -   Será que a voz do ex-presidente L.I. se tornou um pouco mais aguda?" 
ANTES
-
Vídeo antigo com a voz rouca de L.I. em duas épocas, em que ele diz e se contradiz.
DURANTE 
  • Vídeo com a  voz de L.I., em que ouvimos o ex-metalúrgico-presidente aproveitar sua festinha de 66 anos de vida para discursar frente as câmeras. Ocasião em que seu grande amigo oncologista (ou
    oncologista amigo) desconfiou de algum problema que pudesse provocar a rouquidão de sua voz.
  • Logo em seguida, foi feito um exame que diagnosticou câncer (nível médio) na laringe de L.I. . Logo na laringe, seu 'principal instrumento de trabalho'! Ao ter seu câncer diagnosticado, L.I providenciou o vídeo abaixo (já conhecido) e chamou a
    imprensa, que ele acusa como sua grande inimiga. Chamou o 'inimigo' antes mesmo de avisar amigos ou parentes!
Depois de apenas 3 sessões de quimioterapia, foi debelado 75% do câncer na laringe de L.I.


Cada caso é um  "causo", mas a curiosidade (mórbida ou não) é sempre a mesma:
- Dilma  precisou fazer  quimioterapia durante quanto tempo para vencer o câncer?
- Há quanto tempo o presidente venezuelano luta contra o câncer para sobreviver? 
Milagres existem.
Jingle bell, jingle bell, acabou o papel...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

Iriri
é um exemplo do nosso problema

VOLTO
DOMINGO, MAS...
Não mudamos nossos hábitos de
uma hora para outra.  Por isso, mesmo em "férias" de quatro dias, foi impossível
evitar uma ida até a recepção do Hotel para pedir o jornal do dia. 
Aqueles palavrões
diários,   que já se tornaram interjeição de revolta quando lemos as
úl
timas
notícias do país, foram substituídos.  Trocamos a revolta pelo espanto.
Um dos jornais mais
"importantes" do Espírito Santo (A Tribuna)
informa apenas como e quantos morreram ontem, com direito a fotos estarrecedoras
como a um ônibus tombado na estrada, por exemplo.  Mostra lindas pernas e bundas
de atrizes e jogadores de futebol  (também os homens têm os dois veículos
citados).  São inúmeras as  páginas de 'classificados', que poderiam continuar a
oferecer vantagem monetária sem desclassificar o jornal, que se desclassifica
por conta própria por não oferecer notícias realmente importantes.
Em suma, mais uma vez ficou
explicado porque Brasil está na atual situação.  O cidadão não sabe o que
acontece porque  não vê nada, mesmo que queira,  pois os próprios meios de
comunicação tratam o brasileiro como uns bobocas que se interessam apenas por
samba, suor e cerveja.   O que, naturalmente, acabam fazendo.
E aí, Jader?  Já escondeu
suas algemas em baixo da cama? Ou vendeu pelo dobro do preço?
NOTA: quando os paraenses se
disseram enojados pelo que eu escrevia, juraram de pés juntinhos que no
Pará eram todos muito conscientizados (?).  Só podemos concluir, então, que tal
conscientização representa um enorme perigo para o país, ao serem responsáveis
por 85% dos votos dados ao meliante Jader Barbalho. Será que o paraense já
vomitou? Ou seu nojo é... como direi? ... cego?
 
 
publicado por puteiro-nacional às 13:33
link do post | comentar | favorito
|
Sexta-feira, 23 de Dezembro de 2011

Onde ele está?

 

 

Ao  acessar  o  blog do blogspot  'A Casa da Mãe Joana',  também chamado  mais apropriadamente de puteiro nacional,  lemos, de novo, o seguinte aviso:

 

 

O blog foi removido - Desculpe, o blogem puteiro-nacional.blogspot.com foi removido. Esse endereço não está disponível para novos blogs.  Esperava encontrar seu blog aqui? Veja: 'Não consigo achar o meu blog na web. Onde ele está?'

 

 

 

Como seguro morreu de velho,  foi criado um irmão quase gêmeo para o blog, justamente para casos assim.  Pena que,  depois do  último e longo susto, segui o conselho da douta Marta Splicy: relaxei e gozei.  Desde o  dia 8 deste mes,  deixei de repassar os novos 'capítulos'.  Vão reaparecer, mas nunca sesabe, porque  "um dia a casa cai",  como - ESPERO! - um dia caia até a casa de tolerância chamada Congresso e volte a ser um verdeiro parlamento. 

 

  

 A SEGUIR

 

 

Uma espécie de imbroglio envolvendo o Sindicato dos Metalúrgicos de Ipatinga, ocorrido em Iriri, que será narrado aqui quando voltar ao Rio, acompanhado de fotos lindas do entardecer no local.

 

 

 

Nota: ontem foram feitos comentários sobre um dos jornais mais 'importantes' do estado, que se limita a comentar tragédias e mostrar bundas e pernas de atrizes e jogadores de jogadores de fuitebol.   Quanto ao que acontece aqui no Brasil, o jornal até parece que estaria imitando o recado do blogspot ao perguntar Onde ele ele está? Só não sabemos se, no caso do jornal, ele estaria estaria procurando o país ou algum problema brasileiro.

 

 

 

 Bom, mesmo, não é ir para outros lugares. 

 Bom é saber o que acontece nos outros lugares.

 

 

 

 

publicado por puteiro-nacional às 12:59
link do post | comentar | favorito
|
Quarta-feira, 14 de Dezembro de 2011

A corrupção e o caranguejo - etmologia

 

 
 
 


 
"Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convêm." (Corintios 6:12)
"Corrupção é uma doença crônica, contagiosa e incurável."
 

 Enviado por Edson Carmona
 
 
 
Etimologia (Dionísio da Silva):
 
Corrupto: do latim corruptus, corrupto, podre, estragado, infectado, viciado. O étimo é o mesmo de corromper, do latim corrumpere, deixando implícito que é ação feita em companhia de alguém, o corruptor, do latim corruptore, e está presente também em interromper, do latim interrumpere, quebrar a continuidade, atrapalhar. Quando à palavra corrupto, entrou para a língua portuguesa, no século XV, em que prevaleciam os significados e sentidos de podre, adulterado, alterado.
Nos dias atuais, seja como adjetivo, seja como substantivo, corrupto passou a ser aplicado ao indivíduo que desvia verbas, que adultera contratos, falsifica documentos, assaltando o erário, naturalmente com a cumplicidade do corruptor, entretanto usualmente ausente das notícias e às vezes tratado como herói por denunciar aquele a quem ajudou a corromper.
São designados corruptos também uns crustáceos decápodes — semelhantes a caranguejos, com cinco pares de patas. Têm essa designação porque são muitos, quase não aparecem e são difíceis de capturar. Quando encontrados, os pescadores os usam como iscas para pegar peixes maiores.
  • Câncer em latim é caranguejo. O tumor recebe tal denominação porque sua forma lembra o
    crustáceo, mas ninguém diz de alguém que tem câncer, que tem caranguejo.
  • Laringe: do grego laryngos, genitivo de lárynx, localiza-se entre a faringe e a traqueia, onde estão as cordas vocais, peças importantes do aparelho fonador.
  • Hospital: do latim hospitale, significa originalmente casa de hóspedes. Portanto, cada um se hospeda justamente onde NÃO MERECE.
O ex-presidente Lula (65), com câncer na laringe, recebe tratamento no Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo.  Entre os clientes da instituição estão políticos e personalidades do mundo empresarial. A maioria do povo se trata na rede hospitalar conhecida como SUS (Sistema Único de Saúde), criado pela Constituição de 1988 e regulamentado nos anos 1990. Nos termos médicos, predominam o latim e o grego.

 
 
 
publicado por puteiro-nacional às 12:28
link do post | comentar | favorito
|

.posts recentes

. CARA NOVA NO CONGRESSO -...

. Blog do Briguilino - Miau...

. Blog do Briguilino - Miau...

. ...

. HOMENS, UNI-VOS!

. "No future!'

. O que é "um grande homem"

. ...

. Onde ele está?

. A corrupção e o caranguej...

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds