Quarta-feira, 1 de Dezembro de 2010

Favelização do Jardim Botânico e incentivo à luta de classes



No outro dia,  o jornalista Marcos Sá Correa escreveu um artigo sobre a invasão que vem sofrendo o que já foi um horto lindo, o Jardim Botânico.  Na verdade, este é um assunto que sequer deveria discutido, e muito menos acontecido.

Dias depois, um dos  deputados defensores da favelização do Jardim Botânico, escreve para o jornal uma crítica ao artigo de Marcos Sá Correa.
O método usado pelo deputado é o cansativo populismo,  muito usado, atualmente, como argumento pelos políticos   que procuram a simpatia dos eleitores.  




Alguns trechos, usados visivelmente para acirrar uma guerra social em sua crítica ao que foi escritro por Marcos Sá Correa:
 
  • Desde 1578, a região já era habitada pelos trabalhadores - negros escravizados.
Por que ele não escreveu apenas escravos ao invés de usar outras palavras que evidendiam sofrimento?
 
  • Sem qualquer constrangimento, Correa reduz os moradores a "invasores" e "espertos" que "procriam", como animais.
Não lembro exatamente as palavras usadas pelo jornalista, mas certamente não usou as palavras agressivas  em negrito, 


  • Demonstra o enorme rancor social que o incapacita de aceitar a convivência harmônica entre pobres e ricos na região.
Mais uma vez o lema de guerra entre pobres ricos os coloca como inimigos, dividindo a sociedade brasileira.



Deputado Edson Santos (PT) escreveu o artigo com os trechos citados e marcados acima.  Nasceu no bairro do Horto, no Rio de Janeiro. Cursou Ciências Sociais na Universidade Estadual do Rio de Janeiro no início da década de 1980, quando foi diretor da União Nacional dos Estudantes. Também foi presidente do Conselho de Moradores da Cidade de Deus, onde viveu por mais de dez anos.  Foi filiado ao Partido Comunista do Brasil de 1985 até 1994, quando se filiou ao Partido dos Trabalhadores. É membro do Diretório Nacional desta legenda desde 2006.

NOTA:  Os dados sobre a vida do deputado - que  escreveu  o artigo com os trechos acima - compçrovam que o fato de que pertencer a  uma familia humilde (o que se supõe por ter morado na Cidade de Deus)  e ser negro não é impedimento para alcançar uma Universidade nem se trornar uma pessoa de boa situação financeira.

publicado por puteiro-nacional às 06:38
link do post | comentar | favorito
|
2 comentários:
De Anónimo a 1 de Dezembro de 2010 às 18:25
Chiste, diz:

A estigma está, geralmente, encalacadra na ótica do estigmatizador: ele se sentem fragilizado com alguma coisa mal resolvida que incomoda muito a sua personalidade. São os neuróticos da vida.


De Anónimo a 26 de Agosto de 2011 às 13:34
fala sério


Comentar post

.posts recentes

. CARA NOVA NO CONGRESSO -...

. Blog do Briguilino - Miau...

. Blog do Briguilino - Miau...

. ...

. HOMENS, UNI-VOS!

. "No future!'

. O que é "um grande homem"

. ...

. Onde ele está?

. A corrupção e o caranguej...

.arquivos

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

.tags

. todas as tags

.subscrever feeds